Anúncio

quarta-feira, 29 de junho de 2016

ATIVIDADES COM ACENTO DIFERENCIAL - 6° ANO

1. Assinale a alternativa incorreta quanto à acentuação:
a) herói
b) heroico
c) jóia   X
d) centopeia

2.A alternativa em que somente uma das palavras deve receber acento gráfico é:
a) Luiz, patroa, nuvem
b) hifen, item, somente   X
c) arcaico, itens, caju 
d) abençoe, saiu, hotel

3.Das palavras abaixo, uma admite duas formas de justificar o acento gráfico
a) combustível
b) está   X
c) três 
d) países 
e) veículos

4.Assinale a alternativa em que a acentuação das palavras se explica pela mesma regra
a) fábrica, máquina, ímã 
b) saúde, egoísta, atribuí-lo X
c) moo, pó, vêm 
d) quilômetro, cinquenta, privilégio
e) hífen, médium, álcool

5.A alternativa em que todas as palavras perderam o acento gráfico por causa do Acordo Ortográfico é:
a) construi-lo / ruina / hifen / fieis. 
b) album / reis / fossil / tenue.
c) polo / para / zoo/ geleia   X
d) rúbrica / heroi / benção / jovem
e) joquei / martir / pelo / veem.

6.A alternativa em que as palavras recebem acento gráfico é:
a) pudico, rubrica, destruido, Piaui 
b) campo, polens, hifen, abdomens
c) feiura, pessego, virus, voce 
d) salada, camera, tatu, látex
e) materia, raizes, estímulos, álbum X

terça-feira, 28 de junho de 2016

ATIVIDADES DE INTERPRETAÇÃO - 6° ANO

Cuidado
 Depois da chuva, o menino vestiu uma roupa azul muito bonita e saiu todo alegre para brincar. A mãe avisou: — Cuidado! A roupa é nova, não vá se sujar. Pouco depois o menino voltou com a roupa suja de lama. A mãe, zangada, falou: — Mas você não sabia que a roupa estava limpinha? Que roupa custa dinheiro? Será que você não sabe que menino educado não fica deste jeito? — Tudo isso eu sei. O que eu não sabia é que o carro ia passar bem na poça d’água e jogar lama em mim.
1) O menino ficou sujo de lama porque
A) a mãe ficou zangada. B) era desobediente. C) era mal educado. D) o carro jogou lama nele.X

O MACACO E A VELHA
 Havia uma velha, muito velha, chamada Marocas. Ela possuía um lindo bananal. Mas a coitadinha da velha comia poucas bananas, pois havia um macaco que lhe roubava todas. Um dia, Marocas, cansada de ser roubada, teve uma ideia. Comprou no armazém vários quilos de alcatrão e com ele fez um boneco. Colocou-o num grande tabuleiro e o levou para o meio do bananal, pensando em dar uma lição no macaco. Logo que Marocas voltou para casa, lá veio o macaco Simão de mansinho. Quando avistou o boneco, zangou-se pensando que ele lhe roubava as bananas. O macaco, muito zangado, deu-lhe uns sopapos, ficando com a mão grudada no alcatrão. Deu-lhe um pontapé. Ficou preso no boneco também o seu pé. O macaco deu, então, uma cabeçada e ficou todinho grudado. Marocas, saindo do barraco, pegou o chicote e surrou o macaco e só parou, quando Simão, dando três pulos, desgrudou-se do alcatrão e fugiu. Certa manhã, Simão teve uma ideia para se vingar da velha Marocas. Ele entrou numa pele de leão que encontrou na floresta. Pulou o muro da casa da velha e escondeu-se no bananal. Quando a velha apareceu, Simão soltou um urro terrível e deu-lhe um bote. A velha gritou e tentou fugir, mas, naquele alvoroço, caiu bem no fundo do poço que havia no quintal. O macaco, vendo o perigo que ela corria, ficou muito triste, pois queria assustá-la, mas não matá-la. Saiu bem rápido de dentro da pele e, olhando em volta, subiu num pé de jamelão, pegou num galho bem grosso e espichou bem o rabo até o fundo do poço. Os gritos chamaram a atenção dos vizinhos que, chegando ao bananal, surpreenderam-se com a cena. O macaco fazendo força, trazendo Marocas dependurada no seu rabo. Depois desse dia, as coisas mudaram. Marocas e o macaco ficaram amigos. Era uma beleza! Ela, em vez de pancadas, dava-lhe bananas e doces. CAPPELLI, Alba; DIAS, Dora. O macaco e a velha. Coleção Lua de papel. FTD. *Adaptado: Reforma Ortográfica.
2) O que deu início à briga entre Marocas e o macaco?
A) A lição que Marocas deu no macaco.
B) A surra de chicote que o macaco levou.
C) O boneco roubar as bananas do macaco.
 D) O macaco comer as bananas da Marocas. X

MEIO AMBIENTE
 A descoberta do estranhíssimo sapo-fóssil Apareceu pelas colinas da Índia um sapo bem esquisitão. Para começar, ele é roxo (“creeedo!”). Tem sete centímetros e um focinho pontudo. A cabeça é meio pequena para o corpo, e, por isso, o bicho parece mais uma bolha gosmenta roxa (Creedo!) do que um ser vivo. E mais estranho que isso só o nome dele: Nasikabatrachus sahyadrensis (mas esse nome palavrão na verdade quer dizer uma coisa bem simples – “sapo da montanha Sahyadri”). O sapo pode até ser feioso, mas, para os seus descobridores, ele é o bicho mais bonito do mundo. É que o sapo da montanha é um fóssil vivo, de 130 milhões de anos atrás. Os antepassados dele viveram na época dos dinossauros, e, por isso, o sapão roxo é muito importante para entender como os anfíbios da família dele evoluíram. Logo... o Nasika é lindo!
3) De acordo com esse texto, qual é a opinião dos pesquisadores sobre o sapo encontrado na Índia?
A) Ele é o bicho mais lindo do mundo.X
B) Ele tem sete centímetros e focinho pontudo.
C) É roxo e apareceu nas colinas da Índia.
D) É um fóssil vivo de 130 milhões de anos.

ELA É SUPER
  Conheça as incríveis habilidades da onça-pintada e saiba mais sobre esse felino. Capaz de se disfarçar na mata, andar com leveza, escalar árvores altas e atravessar rios, a onça parece ter os poderes de invisibilidade de um guerreiro ninja. Ela usa todas essas habilidades para caçar e se proteger. Costuma ser mais ativa quando o sol se põe e pode caçar à noite, pois enxerga bem no escuro e tem audição e olfato aguçados. Como tem pernas curtas, ela não corre. Se esconde, segue a presa sem ser percebida e ataca saltando de um galho ou do meio da mata de repente, com uma mordida mais forte do que a de felinos maiores. Revista Recreio, São Paulo: Abril, n.487, p. 20, 9 de jul. 2009. 
4) De acordo com esse texto, a onça-pintada usa suas habilidades para
A)aguçar o olfato. B) caçar e se proteger.X   C) enxergar no escuro. D) ficar invisível.

O crescimento do cabelo
 Quem não curte um corte de cabelo estiloso para dar uma turbinada no visual? Nosso cabelo, assim como as unhas, nunca param de crescer. Por isso podemos cortá-lo de várias formas sem correr o risco de ficar com a cabeça pelada. O cabelo é um fio produzido por uma glândula que fica abaixo da pele. O pelo brota no folículo, que é uma espécie de tubo no qual as células produzem proteínas e queratina. Essas substâncias se acumulam em seu interior e são empurradas pra cima, endurecem e assumem a forma de um fio. Existem cabelos de todos os tipos: lisos, crespos, amarelos, vermelhos etc. A cor e a textura são determinadas por fatores genéticos. Jornal Estado de Minas, p. 8, 12 jan. 2008. *Adaptado: Reforma Ortográfica.
5) No trecho “Essas substâncias se acumulam em seu interior e são empurradas pra cima...”, a expressão destacada substitui
A) a proteína e a queratina.X   B) as glândulas e a pele. C) o cabelo e a unha. D) os amarelos e os vermelhos.


ATIVIDADES DE INTERPRETAÇÃO - 6° ANO

O cachorro
As crianças sabiam que a presença daquele cachorro vira-lata em seu apartamento seria alvo da mais rigorosa censura de sua mãe. Não tinha qualquer cabimento: um apartamento tão pequeno que mal acolhia Álvaro, Alberto e Anita, além de seus pais, ainda tinha de dar abrigo a um cãozinho! Os meninos esconderam o animal em um armário próximo ao corredor e ficaram sentados na sala à espera dos acontecimentos. No fim da tarde a mãe chegou do trabalho. Não tardou em descobrir o intruso e a expulsá-lo, sob os olhares aflitos de seus filhos.
Granatic, Branca. Técnicas Básicas de Redação.
1- No texto, fica claro que haverá um conflito entre as crianças e a mãe, quando as crianças
(A) resolvem levar um cachorro para casa, mesmo sabendo que a mãe seria contra.X
(B) levam para casa um cachorro vira-lata, e não um cachorro de raça.
(C) decidem esconder o animal dentro de um armário.   
(D) não deixam o animal ficar na sala.

Jéssica veio do céu
Jéssica é somente uma garota de 11 anos (...). Mas tem a coragem de uma leoa e a calma de um anjo da guarda. Na noite de domingo, a casa em que ela mora se transformou num inferno que ardia em chamas porque um de seus irmãos causou o acidente ao riscar um fósforo. Larissa, de 7 anos, Letícia, de 3, e o menino de 8, que involuntariamente provocou o incêndio, foram salvos porque Jéssica (apesar de seus 11 anos) se esqueceu de sentir medo. Mesmo com a casa queimando, a garganta sufocando com a fumaça e a porta da rua trancada por fora (a mãe saíra), a menina não se desesperou. Abriu a janela de um quarto e através dela colocou, um por um, todos os irmãos para fora. Enquanto fazia isso, rezava. Ninguém sofreu sequer um arranhão. Só então Jéssica pensou em si própria. E sentiu muito medo. Pulou a janela e disparou a correr.
Revista Veja. São Paulo: Abril, 18 de fevereiro de 2004.
2- No trecho “Larissa, de 7 anos, Letícia, de 3 anos, e o menino de 8, que involuntariamente provocou o incêndio, foram salvos porque Jéssica (apesar de seus 11 anos) se esqueceu de sentir medo”., o trecho destacado se refere a(ao):
(A) Larissa (de 7).  
(B) Letícia (de 3).  
(C) menino (de 8). X
(D) Jéssica (de 11).

Cadernos de João
(…) Na última laje de cimento armado, os trabalhadores cantavam a nostalgia da terra ressecada.
De um lado era a cidade grande: de outro, o mar sem jangadas.
O mensageiro subiu e gritou:
- Verdejou, pessoal!
Num átimo, os trabalhadores largaram-se das redes, desceram em debandada, acertaram as contas e partiram.
Parada a obra.
Ao dia seguinte, o vigia solitário recolocou a tabuleta: “Precisa-se de operários”, enquanto o construtor, de braços cruzados, amaldiçoava a chuva que devia estar caindo no Nordeste.
(Anibal Machado, Cadernos de João )
3- De acordo com o texto, a palavra “Verdejou” significa
(A) a saudade dos trabalhadores.      
(B) o mar sem jangadas.
(C) a parada da obra.                         
(D) a chuva caindo no Nordeste. X
Leia o texto abaixo.

 A gansa dos ovos de ouro
Fábula de Esopo, recontada por Ana Maria Machado.
 Era uma vez um casal de camponeses que tinha uma gansa muito especial. De vez em quando, quase todo dia, ela botava um ovo de ouro. Era uma sorte enorme, mas em pouco tempo eles começaram a achar que podiam ficar muito mais ricos se ela pusesse um ovo daqueles por hora, ou a todo momento que eles quisessem. Falavam nisso sem parar, imaginando o que fariam com tanto ouro. — Que bobagem a gente ficar esperando que todo dia saia dessa gansa um pouquinho... Ela deve ter dentro dela um jeito especial de fabricar ouro. Isso era o que a gente precisava. — Isso mesmo. Deve ter uma maquininha, um aparelho, alguma coisa assim. Se a gente pegar pra nós, não precisa mais de gansa. — É... Era melhor ter tudo de uma vez. E ficar muito rico. E resolveram matar a gansa para pegar todo o ouro. Mas dentro não tinha nada diferente das outras gansas que eles já tinham visto – só carne, tripa, gordura... E eles não pegaram mais ouro. Nem mesmo ganharam um ovo de ouro, nunca mais. MACHADO, Ana Maria. O Tesouro das Virtudes para Crianças. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1999. (P04017MG)
4) O ditado popular que melhor combina com essa história é
A) “A união faz a força”.
B) “Quem tudo quer tudo perde...”.  X
C) “De grão em grão a galinha enche o papo”.
D) “A vingança tarda, mas não falha”

O príncipe sapo
 Uma feiticeira muito má transformou um belo príncipe num sapo, só o beijo de uma princesa desmancharia o feitiço. Um dia, uma linda princesa chegou perto da lagoa em que o príncipe morava. Cheio de esperança de ficar livre do feitiço, ele lhe pediu um beijo. Como ela era muito boa, venceu o nojo e, sem saber de nada, atendeu ao pedido do sapo: deu-lhe um beijo. Imediatamente o sapo voltou a ser príncipe, casou-se com a princesa e foram felizes para sempre. Seieszka, Jon. O patinho realmente feio e outras histórias malucas. São Paulo: Companhia das letrinhas, 1997, [s. p].
5) O que deu origem aos fatos narrados nesse texto?

A) O beijo da princesa. B) O feitiço da feiticeira. X C) O nojo da princesa. D) O pedido do sapo.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

ATIVIDADES COM PRONOMES RELATIVOS - 9° ANO

Pronomes relativos são palavras que representam nomes já referidos, com os quais estão relacionados. Daí denominarem-se relativos. 
1- Assinale o item em que não aparece pronome relativo:
a) O que fazes não está correto.
b) A vida que levo não é fácil.
c) O caminho por que passei é um atalho.
d) Temos que trabalhar aos sábados.
e) O show a que assisti estava lotado.
Alternativa “d”. Na oração “Temos que estudar mais”, o “que” atua como conjunção integrante (introduz uma segunda oração que completa o sentido da primeira), e não como pronome relativo. Nas demais alternativas, o pronome relativo tem como função sintática evitar a repetição de um termo expresso anteriormente.

2- Assinale o período em que foi empregado um pronome relativo inadequadamente:
a) O livro a que eu me refiro é Estrela da manhã, do Manuel Bandeira.
b) Ela é uma pessoa de cuja idoneidade ninguém duvida.
c) A tese em cujos dados nos baseamos é esta.
d) O tribunal do juri perante o qual o réu foi condenado foi implacável.
e) O homem de cujo lhe falei ontem é este.
Alternativa “e”. Na alternativa “e”, o pronome que melhor se aplica é “o qual”: O homem sobre o qual lhe falei ontem é este.


3- Use pronomes relativos para transformar as duas frases dadas numa só:
A-O jogador foi convocado pelo treinador. O treinador irá à Copa do Mundo.
  O jogador que irá à Copa do mundo foi convocado pelo treinador.
    
 B) Minha irmã comprou o material. Eu precisava desse material.
 Minha irmã comprou o material de que precisava.

4- Identifique o pronome relativo e o termo antecedente a que pertencem:
a) No jardim há vários bancos nos quais as crianças brincavam. PR: nos quais – ANTECEDENTE: vários bancos

b) O carro que comprei é importado. PR: que – ANTECEDENTE: carro

c) A pessoa a quem me dirigi era recepcionista. PR: quem – ANTECEDENTE: pessoa

d) O cordão que o ladrão roubou é de ouro. PR: que – ANTECEDENTE: cordão

e) A empresa que incentiva os funcionários progride. PR: que – ANTECEDENTE: empresa

5- Complete as frases com pronome relativo adequado:
a) O aluno que estuda, vence. O aluno que não estuda, se arrepende.
b) Contemplo o céu, onde estrelas brilham intensamente.
c) A loja, cujo dono é aquele senhor, foi assaltada várias vezes.
d) A pessoa a quem mais amei na vida foi Joana.
e) A casa, cujas paredes estavam sujas, já foi pintada.

6- Identifique a frase em que não se usa corretamente o pronome relativo:
(  ) É um político em cujas palavras não se pode confiar.
(X) Feliz o povo cujo o governo não é corrupto.
(  ) Essa é a pessoa de quem eu tanto falo.

(  ) Essa é a pessoa cujo amor eu não divido com ninguém.

ATIVIDADES COM FLEXÃO DO SUBSTANTIVO E ADJETIVO - 6° ANO


1. Assinale a opção em que ambos os termos não admitem flexão de gênero:

a) inglesa pálida
b) jovem leitor
c) alguns mestres
d) semelhante criatura    x
e) moça ideal

2. “Talvez seja bem que o proprietário de imóvel desconfiar de que ele não é tão imóvel assim”.
As palavras destacadas são, respectivamente:

a) substantivos e substantivo
b) substantivo e adjetivo   x
c) adjetivo e verbo
d) advérbio e adjetivo
e) adjetivo e advérbio

3. Assinale a opção cujo substantivo não tem plural em “ãos” como “artesãos”:

a) cidadão
b) pagão
c) cristão
d) charlatão   x
e) irmão

4. Assinale a opção em que todos os substantivos, quando no plural, apresentam mudança de timbre da vogal tônica, conforme acontece com “povo (ô) / povos (ó)”:

a) tijolo, piloto, adorno
b) ovo, pescoço, olho
c) globo, posto, bolo
d) esforço, imposto, jogo   x
e) osso, cachorro, transtorno

5. Assinale a palavra que difere em gênero (masculino ou feminino) das demais do grupo:

a) análise
b) cal
c) libido
d) milhar
e) síndrome   x

6. Assinale a palavra que só pode ser empregada em um gênero:

a) eletricista
b) colega
c) chefe
d) testemunha   x
e) servente

7. Nas palavras abaixo, há uma com erro de flexão. Assinale-a:

a) irmãozinhos
b) exportaçõezinhas
c) lençoizinhos
d) papelzinhos   x
e) heroizinhos

8. Assinale a alternativa que contenha substantivos, respectivamente, abstrato, concreto e concreto:

a) fada, fé, menino
b) fé, fada, beijo
c) beijo, fada, menino   x
d) amor, pulo, menino
e) menino, amor, pulo

segunda-feira, 6 de junho de 2016

ATIVIDADES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO - FÁBULA - 6° ANO




A raposa e a cegonha
Um dia a raposa convidou a cegonha para jantar. Querendo pregar uma peça na outra, serviu a sopa num prato raso. Claro que a raposa tomou toda a sua sopa sem o menor problema, mas a pobre cegonha com seu bico comprido mal pode tomar uma gota. O resultado foi que a cegonha voltou para casa morrendo de fome. A raposa fingiu que estava preocupada, perguntou se a sopa não estava ao gosto da cegonha, mas a cegonha não disse nada. Quando foi embora, agradeceu muito a gentileza da raposa e disse que fazia questão de retribuir o jantar no dia seguinte.
Assim que chegou, a raposa se sentou lambendo os beiços de fome, curiosa para ver as delicias que a outra ia servir. O jantar veio para a mesa numa jarra alta, de gargalo estreito, onde a cegonha podia beber sem o menor problema. A raposa, aborrecidíssima só teve uma saída: lamber as gotinhas de sopa que escorriam pelo lado de fora da jarra. Ela aprendeu muito bem a lição, enquanto ia andando para casa faminta, pensava: “Não posso reclamar da cegonha. Ela me tratou mal, mas fui grosseira com ela primeiro”.
Esopo. Fábulas de Esopo. São Paulo: Companhia das letrinhas, 2005. p. 36.

Moral: Trate os outros assim como deseja ser tratado.

Atividades

1) Quem é o autor do texto? E qual é o título do texto?
R.: O autor do texto é Esopo. E o título é “A raposa e a cegonha”.

2) Quantos e quais são os ambientes em que a história acontece?
R.: A história se passa na casa da raposa e na casa da cegonha.

3) O que a raposa fez com a cegonha?
R.: A raposa convidou a cegonha para jantar e serviu a sopa em um prato raso para que ela não conseguisse comer.

4) Quais são os personagens da história?
São a raposa e a cegonha.

5) Em sua opinião qual foi o sentimento da cegonha ao sair da toca da raposa?
R.: Resposta pessoal.

6) Qual é a moral da história? Qual a sua opinião sobre ela?
R.: A moral da história é trate os outros assim como deseja ser tratado. Resposta pessoal.

7) Em que situações do nosso cotidiano, você acha  que essa moral da história pode ser utilizada?
R.: Resposta pessoal.


8) Reescreva a história, criando outro ponto de vista. Como a raposa e a cegonha poderiam agir em um próximo jantar? Elabore então uma situação, um diálogo e a linha moral do final,pensando na perspectiva de um jantar para demonstrar que elas realmente aprenderam a lição..

domingo, 5 de junho de 2016

ATIVIDADES COM ENCONTRO CONSONANTAL E DÍGRAFO - 6° ANO


1- Na palavra coração:
(A) não há dígrafo, mas há ditongo. x
(B) há dígrafo e ditongo.
(C) não há dígrafo nem ditongo. 
(D) há dígrafo, mas não há ditongo.

2- A única alternativa que apresenta palavra com encontro consonantal e dígrafo é:
(A) graciosa.
(B) batatinhas.
(C) carrinhos.
(D) trabalhava. X

3- Coloque D para dígrafo e EC para encontro consonantal:
a) ( D ) pássaro
b) (EC) substantivo
c) ( D ) onda
d) ( D) exceto

4- Na língua portuguesa escrita, quando duas letras são empregadas para representar um único fonema (ou som, na fala), tem-se um dígrafo.  O dígrafo só está presente em todos os vocábulos de: 
(A) pai, minha, tua, esse, tragar. 
(B) afasta, vinho, dessa, dor, seria. 
(C) queres, vinho, sangue, dessa, filho. x
(D) esse, amarga, silêncio, escuta, filho.

5- Indique a alternativa cuja sequência de vocábulos apresenta, na mesma ordem, o seguinte: DITONGO - HIATO - HIATO - DITONGO 
(A) jamais, Deus, luar, daí. 
(B) joias, fluir, jesuíta, fogaréu. x
(C) ódio, saguão, leal, poesia. 
(D) quais, fugiu, caiu, história.